IDOSOS SERÃO 1 BILHÃO EM 2022! CURITIBA ESTARÁ PREPARADA? Entrevista com Guilherme Falcão – Gazeta do Povo

L

link da GAZETA DO POVO – Entrevista com Guilherme Falcão

Idosos serão 1 bilhão em 2022 – Vida e Cidadania – Gazeta do Povo

www.gazetadopovo.com.br/…/conteudo.phtml?…Idoso..

Guilherme Falcão Psicólogo-Gerontólogo, trabalha há mais de 30 anos com idoso, saúde e educação

 

Anúncios

5 pensamentos sobre “IDOSOS SERÃO 1 BILHÃO EM 2022! CURITIBA ESTARÁ PREPARADA? Entrevista com Guilherme Falcão – Gazeta do Povo

  1. Receio que não esteja, aliás nenhuma cidade no Brasil me parece estar preparada.
    Outro dia, conversava com uma senhora no coletivo e ela me relatou que estava com uma das mãos imobilizada já a algum tempo devido um acidente em um biarticulado, quando desembarcava desse. O desembarque, geralmente, é muito rápido e todos sabemos que os mais velhos são mais lentos…Algo precisa ser revisto, a humanização dos serviços precisa ser estabelecida. Nossos idosos estão em estado de desamparo.
    Orlie

    • Posted on An interesting diualgoe is value comment. I think that it’s best to write more on this topic, it won’t be a taboo subject but generally persons are not sufficient to speak on such topics. To the next. Cheers

  2. Desamparo em alguns aspectos, pois já avançamos muito em diversas formas de atendimento. A informação, os tratamentos de saúde, a oferta de atividades esportivas, mesmo em cidades pequenas, é presente.
    Precisa sim, é conscientizar os mais jovens dessa fragililidade que vem com o avanço dos ano, e de que e é necessário respeito e prioridade de atendimento em filas, oferta de assento nos coletivos, ás vezes um auxílio na rua, essas coisas que temos deixado de lado,
    visto que somos uma sociedade dita moderna.
    Orlie

  3. Alem, muito além do que foi dito, é preciso caminhar. Caminhar para experimentar o prazer do sorriso do idoso. a gratidão, quando é atendido em suas expectativas, > E isto precisa ser desenvolvido nos s lares, nos grupos familiares. nas igrejas, E até mesmo nos serviços de saúde. Muitos profissionais atendem o idoso tão rápido, que não
    digna a se dirigir à pessoa. Mas se dirige ao acompanhante., com perguntas tipo: Ela fala?, ela escuta? ela anda ? E nesse caso se o acompanhante tem meu jeito malcriado< ou bem criado, responde: pergunta pra ela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s